18 dezembro 2008

Por que a música é tão importante nas nossas vidas?

Bookmark and Share

clave de sol  Você já parou prá pensar como uma música pode nos fazer lembrar de uma pessoa querida que se foi, um lugar que estivemos, ou até mesmo a saudade de um amor passado? Pois é, o que seria de nós sem a música?

Falando no campo científico, a música é percebida no cérebro em sua parte que recebe estímulos ligados às emoções e sentimentos. Isso significa que ela não é captada pelas áreas racionais e ligadas à inteligência, fazendo com que o ouvinte, mesmo não dando a devida atenção consciente à ela, sinta-a da mesma forma.

Interessante não? Mas o proprósito aqui não é científico nem racional, mas sim emotivo. Quantas vezes já nos pegamos cantando ou ouvindo uma música, lembrando de situações passadas, de pessoas, lugares? É só fechar os olhos neste instante, pensar em sua canção favorita e deixar a mente vagar. Verá que não tem erro.

O que eu acho fascinante é a íncrível capacidade que ela tem de instigar nossos mais puros sentimentos, fazendo aflorar várias sensações diferentes no ser humano sem que, muitas vezes, nós nem tenhamos a percepção disso. A música tem um poder incrível, consegue nos fazer sentirmos racionais e irracionais ao mesmo tempo, é paradoxal, perturbadora, irritantemente doce e suavemente pesada. Harmonia, melodia e ritmo. Combinação tão matemática, tão perfeita. Já imaginou um filme sem trilha sonora? E o mundo sem som?

Penso que cada vez mais, nos tempos modernos e corridos que vivemos, precisamos nos dar um tempinho de vez em quando, prá fugir da rotina e do estresse que nos assola. A música pode ser uma verdadeira aliada nesse processo de, pois nos renova, nos faz pensar, nos deixa leve, purifica a alma...

Ouça música!



Escolha a opção de comentário:

8 Comentários
Comentários

8 comentários:

  1. Junior, por conta desse seu texto, eu fui atrás do meu primeiro blog. Bem jurássico... E o pior que custei achá-lo. Se me permite, vou postar aqui, o texto que escrevi nele, em março de 2005.

    ResponderExcluir
  2. A MÚSICA REGENDO NOSSAS VIDAS

    "É cedo ou tarde demais para dizer adeus, pra dizer jamais..." Na primeira vez que ouvi esta frase (música dos Titãs), pensei: "Nossa! É a síntese da minha vida." Naquela época (e por um longo período) os acontecimentos "vinham e iam" numa velocidade tamanha, que se eu parasse só um pouquinho para pensar, "já era...; foi...".
    Incrível como a música (letra ou melodia) "traduz" algo significativo. Como se realmente estivessem "falando" conosco... Além de mapearam fases de nossas vidas; a música acompanha nosso estado de espírito; indo de um pólo a outro. Às vezes, a procuramos como companhias de nossas emoções momentâneas. Entre tristezas ou alegrias a música sempre se fez presente. "São tantas as emoções..."
    Sempre gostei de música. Cantarolava sempre, embora o fizesse com mais empenho debaixo do chuveiro por não possuir uma bela voz. Gostava mesmo assim de de dizer que era "movida" a música. Desde as cantigas de rodas, na infância... "Se essa rua, se essa sua fosse minha..." Depois com os programas na televisão onde até a aprendemos a "contar": "se cantando aprender é bom, a contar vou aprender também, 1+2 são 3, +3 e o resultado são 6..." Marcos e Paulo César Valle brindaram-nos com várias pérolas. Será que alguém lembra dessa: "Todo dia é dia, toda hora é hora, de saber que esse mundo é seu..." E na infância achamos mesmo que o mundo nos pertence...
    Há aquelas que entram em nossas mentes e ficam lá por teimosia; não saem mesmo... Ainda mais com uma certa "ajuda" de vizinhos barulhentos que nos "obrigam" a escutar suas músicas num volume ensurdecedor. E quase nunca são as que queremos ouvir. Fazer o quê...
    Além de mapearam fases de nossas vidas; a música acompanha nosso estado de espírito; indo de um pólo a outro. Às vezes, a procuramos como companhias de nossas emoções momentâneas. Entre tristezas ou alegrias a música sempre se fez
    presente. Trazendo um "recado" para nós...
    Gosto em dia de faxina escutar rítmos bem dançantes; do tempo das discotecas. "Abra suas asas, solte suas feras...", algo frenético para animar...
    Há momentos que dá vontade de: "vestir uma camisa listrada e sair...", "sem lenço e sem documento...", e "se alguém perguntar por mim, diz que fui por aí..." que "só quis saber como é, qual é, perna no mundo sumiu"... E depois então: "estou de volta pro meu aconchego, trazendo na mala bastante saudade..."
    Também há momento que gostamos de dedicar uma canção para alguém especial. Onde sabemos que aquela música dará o nosso recado direitinho; com todo o nosso carinho...
    É um texto fascinante que certamente voltarei nele.
    Quem também gostar de música, se quiser contar algo...
    Estou por aqui...
    Valéria Miguez
    Terça-feira, Março 15, 2005

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto, Val... muito bom mesmo!
    A música nos move e está presente constantemente!

    ResponderExcluir
  4. esse texto descreveu exatamente minha relação com a musica, ela faz relaxar nos piores momentos, alegra, purufica.. Amei seu texto
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Até mesmo na Bíblia temos um exemplo do "poder" da música: quando Saul tinha crises de loucura, Davi tocava música através de uma harpa, o que acalmava o rei.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Valdeir

    É verdade, e inclusive a música sempre esteve presente nas religiões.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. é mesmo amúsica é tudo tanto pra relembrar como pra esqucecer

    ResponderExcluir
  8. A MUSICA É TUDO NA NOSSA VIDA

    ResponderExcluir

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger... Voltar ao Topo da Página