09 fevereiro 2009

Cadeirantes - a sua cidade pensa neles?

25 comentários

simbolo  Segundo estatísticas, há 24,5 milhões de portadores de deficiências no Brasil.  Boa parte deles necessitam de cadeira de rodas para se locomoverem, são os chamados cadeirantes. Muitos tem uma vida ativa, trabalham e estudam e, por isso, precisam se movimentarem pelas cidades. Mas será que os municípios brasileiros, principalmente os grandes centros urbanos, estão preparados para proporcionar o bem estar desses cidadãos?

 

Tomando como base a cidade de São Paulo, que é a capital com o maior número de cadeirantes, há estações de metrô e trem com rampas de acesso e elevadores, mas, infelizmente, algumas ainda não possuem essa infra-estrutura. Há ônibus e táxis que são adaptados, mas ainda em um número pequeno. Outro grande problema é na hora do lazer, pois muitas salas de cinema e teatro, bares e restaurantes, por exemplo, ainda não se adaptaram à esse público. Existem calçadas que não são rebaixadas, principalmente na periferia, dificultando a locomação nas vias públicas. Acho que é preciso fazer muita coisa, você não acha?

Acredito que, numa sociedade tão individualista como é a de hoje, muitos sequer param e imaginam como deve ser difícil a vida de um cadeirante. E digo pensar não em uma maneira que aflore o sentimento de pena, mas sim que eles também tem direitos como qualquer outro cidadão. Por que então toda a população não abraça essa causa? Todos só teriam a ganhar.

Para encerrar, a questão central. A sua cidade tem pensado neles? E você cadeirante, está satisfeito com a sua?

Escolha a opção de comentário:

25 Comentários
Comentários

25 comentários

Não, com certeza. As poucas coisas que conseguiram até agora algumas ainda foram na justiça.

Responder

Oi Junior!

Estreiando com esse meu novo blog, aqui no seu.
Muito bom em levar esse texto no seu. Pois faz sair de uma blogosfera mais restrita.
Parabéns!

Sobre Sampa... no Harém eu conto as aventuras que tive em passar 4 dias nela. Eu amei Sampa!

Beijão,

Responder

Na periferia, muitas vezes não existe nem calçada. Na Av.Paulista, eles fizeram um trabalho interessante nas calçadas, para facilitar a vida, tanto do cadeirante, quanto do deficiente visual.
Mas ainda tem muito para melhorar.

Responder

Bem, aqui na minha cidade, como é uma cidade pequena, não tem muita estrura pra atender todas as nescessidades dos cadeirantes. Mas aqui, eles não reclamam nem nada, então fica tudo do jeito que tá mesmo. Nem um nem outro toma uma atitude.

Responder

Hum, andei reparando que em algumas calçadas tem aquelas rampas, eu disse só em algumas por vários lugares de sampa, vejo o quanto é difícil ao cadeirante tentar levar sua vida normal, pois uma das situações é entrar em um estabelecimento e não ter acesso, comparando com a vida de uma pessoal normal. Ônibus e outros meios de transportes aos poucos ou melhor, em velocidedade de progresso tartaruga estão se adaptando para servir tb os deficientes físicos, seria melhor criar uma lei para que em todos os cantos investisse tb para essas pessoas?

Responder

A falta de responsabilidade dos preifeitos e políticos é alarmante. COm muita luta e muito custo a última coisa a pensar são nas pessoas com necessidades físicas.
Espero que nada aconteça a eles, pois se estivessem em cadeiras de rodas veriam o quanto precisam de uma estrutura melhor nas cidades para ajudar os cadeirantes.

É meu amigo, esse é o Brasil, coisa de louco, você não vive, sobrevive.

Abraços, parabéns pelo site.

Responder

As ações e as políticas de Acessibilidade no Brasil ainda são muito tímidas. Na Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro há uma Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e fazem um bom trabalho lá. Um abraço. Drauzio Milagres.

Responder

Junior!

Eu linkei esse seu texto no meu novo Blog.

Beijão,

Responder

Realmente as políticas públicas são ineficientes, mas não só para os cadeirantes e deficientes, em geral é ineficiente para todos.
A diferença é que os portadores de necessidades especiais têm maior dificuldade de contornar essa ineficiência pública.
No caso do transporte, se todos fossem esperar quantidade e qualidade suficientes, o Brasil estava parado, por isso o trânsito (principalmente São Paulo) é a loucura que é. As pessoas têm que procurar alternativas e para isso compram seus carros ou motos ou qualquer meio de locomoção.
Ai vem um problema para os cadeirantes, conseguir um veículo adaptado, que geralmente é caro e necessita de vagas especiais para estacionar devido o grau de dificuldade para entrar e sair ou até mesmo de manobrar. Essas vagas são raras e quando existem muitas vezes são usadas por não portadores de necessidades especiais que como todos enfrentam o poblema de estacionamento.
Para tentar amenizar o problema dos cadeirantes, meu pai inventou um triciclo que permite o cadeirante entrar e sair e pilotar sozinho o triciclo. O cadeirante entra com a sua cadeira de rodas e pilota nela. Há espaço para levar um acompanhante se necessário. Quem estiver interessado em mais informações acesse www.triciclosfreedom.webnode.com.br
Se você acha que já viu de tudo para cadeirantes e acha que nada vale a pena, pelo menos confira e veja se o triciclo atende a sua necessidade, e se não, poste no site o que você acha que não funciona ou como deveria funcioar, assim ele pode ser melhorado.
Só depende da vontade dos cadeirantes de resolverem seus próprios problemas que são maiores que os dos outros, mas todos são problemas e ficar querendo que o governo os resolva é uma útopia para todos.

Responder

Tenhoo quee fazeer um trabalhoo da escola sobre cadeirantes ... acho que me ajudou muiito ! Obg :D

Responder

C.maria
Gostaria de saber como posso encontrar algum dado, estatisticas sobre o número de cadeirantes no bairro da Tijuca/RJ, onde posso encontrar essas informações. Gostaríamos de fazer contato para elaborar projetos que atendam as dificuldades mais urgêntes.
obrigado.

Responder

@C. Maria

Olá. Olha, lembro que quando escrevi esse artigo, deu trabalho pra saber que no Brasil há esse número de cadeirantes, e confesso a você que não consegui encontrar nenhuma estatística específica quanto às cidades. Sugiro que você procure o site do seu município ou do seu estado pra essa informação. Se você quiser, vá no link "Contato" lá no topo da página e me mande seu e-mail. Assim, quando souber de alguma informação, te repassarei com o maior prazer.

Obrigado e abraços.

Responder

Muito bom este texto; apresento um programa de TV em Jandira e vou entrevistar uma cadeirante justamente para falar sobre esta questão!
Abraços Adriana Biazoli

Responder

gostei do artigo parabéns

Responder

Eu reparei nas calçadas aqui no Rio,que só algumas tem rampas para o acesso dos cadeirantes.Vejo que é muito difícil ao cadeiranteter uma vida normal,pois umas dessas situações é chegar em um lugar e não ter acesso.São poucos os meios de transporte que o cadeirante tem acesso.Taxi,ônibus...são poucos para atender aos cadeirantes,e além de outros problemas como,buracos nas calçadas,outro exemplo que vi numa reportagem,foi,quando um cadeirante não conseguiu passar por causa das cadeiras do bar e ainda o dono falou que estava certo.Acho que deveria,´´pelo menos``,ter uma lei que em todos os lugares e os transportes tivessem acessoa esses cadeirantes.
Abraços e obrigada

Responder

Muito claro e preciso esta artigo!

Responder

Concerteza concordo plenamente com essa causa , pois tem poucos onibus que são adabitados para os cadeirantes , tem sim muita coisa para fazer , infelizmente existe pessoas preconceituosas que ignora muito esse problema , eu queria fazeralgo para ajudar pessoas assim .
Obrigado , gostei muito da Materia

Responder

á nem todas porque não são todos os onibus que são adapitados para caderantes, também lojas e varios outros tipos de comercios ate as novelas dão exemplos de como os defecientes sofre.

Responder

hoje virou moda falar em acessibilidade, as empresas, o governo e as pessoas. Mas acho que pelo menos por parte do governo o importante é apenas falar, ja que não vejo nenhuma atitude que realmente traga acessibilidade ás pessoas, eu penso que o Governo poderia contribuir de forma muito relevante e com custo insignificante, apenas aprovando uma lei em que todos os onibus urbanos fossem obrigados a ter seu piso rebaixado. Isto daria realmente mobilidade aos diversos grupos de pessoas incluindo idosos, crianças, gestantes atletas em recuperação, e não apenas aos cadeirantes. Acho tambem que os onibus adaptados com elevador é constrangedor para os cadeirantes que obrigam a chamar a atenção para si enquanto todos aguardam o motorista a operar o elevador, sem falar no ridiculo de um idoso ou uma gestante utilizando o elevador. Onibus com piso rebaixado ja existe inclusive no Brasil e a reposição dos onibus atuais deverian ser obrigatoriamente por este novo tipo. Concluindo, se as pessoas puderem chegar a todos os cantos da cidade independente da sua condção fisica, toda a população trabalharia para recebe-los.

faço esse comentário para que alguma entidade ou grupo de pessoas possam encabeçar a criação de uma lei desse tipo.
Carlos

Responder

COMO JÁ SABEMOS A PALAVRA ACESSIBILIDADE VIROU MODA ,TODOS DIZEM MAS NA VERDADE NEM SABE O QUE É ISTO.PERGUMTE A UMA PESSOA QUE AUXILIA UM CADEIRANTE QUE ELE SABERÁ EXPLICAR.SAIO MUITO CO MINHA NETA E ENFRENTO MUITAS DIFICULDADES,AS PARADAS DE ONIBUS É UM HORROR,ÁS VEZES FAÇO UM LOGO TRAJETO PORQUE PESSOAS MAL EDUCADAS DEIXAM SEUS EXATAMENTE NO LUGAR IMPEDINDO A PASSAGEM E ASSIM POR DIANTE.

AVO DA CADEIRANTE LARISSA

Responder

Raramente um ou dois políticos se senssibilizam com a nossa causa. Eles dão enfoque durante o período de eleição... Está convidado á seguir o meu site. Grande abraço, parabéns pelo ótimo trabalho!

Responder

NÁDIA SANTOS CADEIRANTE INFELIMENTES AS PESSOAS NÃO DÃO VALORES AS PESSOAS COM QUALQUER TIPO DE DEFICIENCIA PARA ELES NOS NÃO TEMOS VALOR NENHUM ATÉ A PROPRIA DESCRIMINAÇÃO VEM DA PROPRIA FAMILIA E MUTO DIFICIO AS PESSOASTER VAGAS DE EMPREGO PARA CADEIRANTES EU JÁ PASSEI POR ISSO. MAIS EU ACREDITO QUE EU TENHO UM VALOR MUITO ESPCIAL NÃO IMPORTA O QUE AS PESSOAS PENSA SOBRE MIM O IMPORTANTE QUE EU TENHO UM DEUS QUE SEMPRE OLHA PARA MIM E ME ACEITA COMO EU SOU .EI PESSOAS COM QUAQUER DEFICIENCIA NÃO DEIXE NINGUÉM TE HUMILHA LEMBRE QUE VOCÊ TEM UM GRANDE VALOR PARA NOSSO DEUS BEJOS.

Responder

Muito bom este artigo. O respeito aos cadeirantes deve existir sempre. Isso é claro. Mas infelizmente nem todos respeitam. É preciso sempre pensar no conforto e bem estar deles.

@Cuidadores_on
www.cuidadores.com

Responder

Olá meu nome é Ednei moro em Blumenau e as calçadas aqui da minha cidade é uma grande porcaria não tenho acesso à muitos dos lugares que gostaria. eu odeio ter que sair para o centro aqui de Blumenau é uma cidade conhecida por conta da Oktoberfest mas o prefeito gasta dinheiro pra deixar a cidade bonita pra essa merda de festa e o lucro deve por no bolso só pra ter uma ideia minha rua no papel é de calçamento à +- 10 anos más ainda é de barro vamos ver se esse novo prefeito vai ser melhor até.

Responder
avatar
Andréia Porfirio

Ola sou ANDREIA SOU PORTADORA DE NECESIDAADE ESPECIAL DEVIDO UM ACIDENTE DE TRANSITO E DIGO COM MUITA TRISTEZA AS CIDADES NÃO ESTÃO PREPARADA PARA NOS CADEIRANTE AS CALÇADAS QUEBRADAS,ESTRADA CHEIAS DE BURACO NOSSA CIDADE FICA BONITA SÓ NA OUCTOBERFEST MAS MESMO NA NOS DIAS DE FESTA VC Ñ CONSEGUE CIRCULAR SOU CADEIRANTE E DIGO VCS QUE PODEM FAZER ALGUMA COISA POR NOS FAÇA OU EU DESAFIO VCS APASSAR UM DIA NA CADEIRA RODAS E PASSEAR PELA CIDADE DE BLUMENAU SC VCS Ñ VÃO QUERER SAIR DE CASA PRA VCS QUE VE DE FORA ACHA QUE É TRANQUILO MAS Ñ É HOJE SOU EU AMANHÃ PODE SER VC E DEPOIS PODE SER ALGUEM DA SUA FAMILIA AUTORIDADES PREFEITOS GOVERNADORES FAÇAM ALGUMA COISA QUE PRESTA POR NÓS.POR FAVOR NOS TBM PAGAMOS NOSSOS IMPOSTOS E
QUE Ñ SÃO POUCO TBM TEMOS NOSSOS DIREITOS.

Responder